Crise

Uma vida de oração passa por momentos de crise, de monotonia, rotina. Orações que parecem superficiais, repetitivas. O Espírito parece estar longe, triste.

É um sentimento estranho, pois o início da vida de oração é bem empolgante e motivador.

Busco força e renovação no Senhor, meu Deus, e me conforto em relatos de homens experientes e de longa vida de oração.

 

“Procurando uma pequena brecha

Ó oração do dia a dia! Tu és pobre e um pouco esfarrapada e pior pareces por usares todos os dias a mesma roupa. Pensamentos augustos e sentimentos exaltados são difíceis para ti. Não és uma sinfonia celebrada numa grande catedral, mais parecendo um cântico devoto, bem intencionado e nascido do coração, um pouco monótono e ingênuo. Mas, oração do dia a dia, és a oração da lealdade e da confiabilidade, a oração do serviço desinteressado e sem recompensa prestado à divina Majestade; és a dedicação que suaviza horas sombrias e engrandece momentos triviais. Não queres saber da experiência de quem ora, e sim da honra de Deus. Não queres experimentar isso ou aquilo, e sim crer. Teu porte pode às vezes estar abatido, mas ainda caminhas. Às vezes, podes parecer provir dos lábios, e não do coração. Mas não é melhor pelo menos os lábios bendizerem a Deus que o ser humano inteiro ficar mudo? E não há mais esperança de que o som dos lábios venha a encontrar um eco no coração que quando tudo no ser humano está mudo? E, em nossos momentos de oração, o que consideramos em nós mesmos ou nos outros uma oração da boca para fora na maioria das vezes é, na verdade, a oração de um pobre, mas leal coração que penosa e honestamente, apesar de toda a fraqueza, cansaço e descontentamento interior, insiste em buscar de uma pequena abertura através da qual um minúsculo raio de luz eterna incida sobre ele, que se acha soterrado nos dia a dia.” Karl Rahner **

** texto retirado do livro Oração, de Philip Yancey

Necessitado de Cristo.

Um comentário sobre “Crise

  1. Necessitado de Cristo (2)

    Muito legal a maneira como a oração foi descrita, amigão! Me deu ânimo para orar…

    Bração!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *