ConheSer

           Matar um leão por dia. Surge o jargão de uma modernidade selvagem e seletista. Sobreviver não é para qualquer um, é o que nos dizem, ainda que os leões não nos sejam apresentados e que, assim, nos falte o mensurar de suas garras e dentes.

            Uma competição que vai muito além do comer, vestir. Trata-se da luta para ser notado, para, de alguma forma, saltar da multidão. A busca por um rosto, um nome, um legado. Há quem escolha como trampolim as artes, o poder, o dinheiro… o conhecimento. Este último que, muitas das vezes, passa então a extrapolar seu sentido primeiro de promoção social, de impulso pro futuro. Quem o persegue o deseja comprimido em seus dedos, e não de outrem. Quer para si o objeto capaz de elevá-lo em um exército de faces anônimas.

            Há, porém, o descontente. Aquele que persegue respostas lógicas. O curioso inquieto que vê o sono roubado por questões existenciais das quais lhe faltam respostas. Aquele que deseja explicações racionais para suas angústias. Assim, a busca por conhecimento lhe é também uma necessidade. Não como mecanismo para ser notado, mas como busca de um sentido para vida.

            Para estes, respostas lhe são servidas diariamente. Explicações para todos os gostos. Aquelas que perpassam por experiências religiosas, místicas, científicas. Um ponto em comum entre todas elas: a dúvida. Todo aquele que tenta responder questões que envolvam o “para onde vou”, “de onde vim” e, principalmente, “porque estou aqui”, se depara com evidências racionais sendo consumidas por meras hipóteses sem nenhum laço comprobatório digno de credibilidade absoluta. Permanece a dúvida que, inteligentemente projetada, permite a liberdade de escolha, o entender subjetivo de depositar sua fé aonde bem entender, vez que tal dúvida nos imuniza da violência da certeza.

            Diz as Escrituras que, certa vez, andava Jesus em meio a multidão quando uma mulher o toca em suas vestes. Tratava-se de alguém que sofria de uma hemorragia constante havia muitos anos e que buscava, em vão, a cura por diversos meios. Jesus interrompe sua caminhada. Um rosto havia se destacado na multidão. Cristo volta seus olhos para aquela face atemorizada dentre outras tantas. Um olhar que fora despertado não por alguma habilidade pessoal de quem agora era o foco, por alguma mente privilegiada esparramando pensamentos geniais.  Jesus, atraído pela necessidade. Pela fraqueza, vulnerabilidade de alguém que se colocou para ser curado.

            Não há dúvidas de que o conhecimento é essencialmente bom, que nos permite gozar de algumas respostas e viver de uma forma melhor. Gostaria, porém, de deixar-lhes algumas perguntas: Como você tem tentado saltar da multidão? E, por fim, onde tem depositado sua fé? Para esta última pergunta, talvez haja uma contra-indagação a ser feita. Por que a depositaria na explicação bíblica, em Cristo, e não no conhecimento científico, por exemplo, vez que me parece um tanto quanto mais lógico? Em outras, palavras, por que Jesus merece um voto racional de confiança? É o que tentaremos responder nos próximos dias…

7 comentários sobre “ConheSer

  1. Legal o post Ganso.
    Realmente as pessoas correm o risco de ter muito conhecimento com Orgulho, o que a leva achar que pode encontrar todas as respostas da vida, se igualando à Deus. Estas pessoas vão viver eternamente sem respostas para suas vidas porque não podem encontrar respostas em si mesmas. Mas temos opção de buscar muito conhecimento com Humildade o que nos leva ter perguntas, e que o reconhecimento de que não podemos ter todas as respostas nos conduzem à fé, e então, sabemos que precisamos de respostas fora de nós mesmos, ou seja, apenas no próprio Deus.
    Creio que a fé e o conhecimento devem andar de mãos dadas, mas devo tomar cuidado para que o conhecimento não me leve ao pensamento orgulhoso e irracional de que eu sou Deus.

    Um homem chamado John Mackay disse o seguinte: “A entrega sem reflexão é fanatismo em ação, mas a reflexão sem entrega é a paralisia de toda ação”.

    Que a cada dia a minha reflexão me leve a reconhecer de que eu preciso dAquele que verdadeiramente tem o conhecimento de todas as coisas para que eu não viva uma vida paralisada.

  2. Nossa Guilherme, gostei muito!!

    Dúvidas…crises existenciais…busca por explicações lógicas!! rsrs…vc me descreveu….esse é o conhecimento q mais me aflige e busco!
    Além disso, buscar a Cristo simplesmente como alguém para ser curado….demonstrar as fraquezas….como isso é difícil, mas realemente é assim q Deus nos deseja ver!! Inteiros, sinceros em sua presença!

    E o culto racional por Cristo? Outra coisa q adoro!! Acredito muito em nosso poder de escolha…”E peço isto: que o vosso amor cresça mais e mais em ciência e em todo o conhecimento (…)” Fl 1:9 Conhecimento em Cristo, sobre Cristo e por Cristo!

    =)

  3. Muito bom o texto, gui! Na verdade, numa perspectiva mais particular. Qual o erro em depositar a fé ou mesmo buscar loucamente o conhecimento como todos de nosso tempo? Acho que ele é esvaziado, não vazio. Esvaziado na medida em que utilizamos mal.Excesso é ruim sempre. Não tem lastro para a fé (confiança). O conhecimento (bagagem informativa) é desconstituído de sentido quando fim em si mesmo. Nesse sentido, não há espaço para segurança, contra-partida. Valendo-me do que sei só consigo, quando muito, dar alguns passos a frente na profissão ou instrumentalizar a dominação.É este o melhor caminho? Percebo que se a gente caminha dessa forma espetacularizamos o nada. Nascemos, crescemos, buscamos conhecimento e morremos abraçados com ele. E só! Valeu Fael pelo mini post. Luma, excelente!

  4. Concordo que no mundo, exista uma grande luta para ser notado, e nós mesmos somos tentados a entrar nessa luta.
    O mundo de hoje acabou sendo tomando por uma busca excessiva de conhecimento, e acredito ser o principal meio que as pessoas buscam para serem vistas. É ilógico pensar que obter grande conhecimento não nos traz certos benefícios, mas creio que existem várias “áreas” onde esse conhecimento pode ser útil, e esse é o grande problema. As pessoas buscam todo tipo de sabedoria, mas sempre em coisas fúteis, e quando esse conhecimento se relaciona com coisas que podem nos ser realmente úteis, a pessoa que detém esse conhecimento e tomada por orgulho e exaltação, e por incrível que pareça, alcança seu lugar de destaque.
    Allém da relação que você fez, é muito legal relacionar essa história do hemorrágico com esses fatos anteriores. Ao meio de toda essa multidão, foi uma pessoa que se destacou dentro de toda história bíblica, e simplesmente pode estar com Jesus! Será que estar com Cristo não é o que realmente pode nos trazer destaque?
    Mas enfim, acabou se tornando uma coisa redundante todas essas coisas. Como diferenciar esse destaque por estar com Cristo, do destaque que o mundo busca? Acho que simplesmente pelo fato de que o destaque por estar com Cristo se torna mais um exemplo do que uma forma de exaltação.
    Nossa! Acho que escrevi muita coisa, fico feliz se alguém teve paciência para ler tudo, mas acabei empolgando! Uahsuhash
    Enfim, apenas para comentar o final do texto, creio que devamos ignorar fatos onde o objetivo seja sermos visto, mas confesso ser uma cosia muito difícil! E “por que Jesus merece um voto racional de confiança?”, prefiro esperar os próximos Posts para tentar responder…

    Grande Abraço!!

  5. Olá! Pessoal, obrigado pelas contribuições. Com certeza, enriqueceram bastante a discussão… que venham os próximos posts…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *