Companheiro

As batidas do seu coração se alteraram imediatamente, corou-se seu rosto e você sentiu calor numa situação desconfortável. Eu vi tudo isso. Você quis esconder todos estes sinais, esperou que na verdade não tivesse uma razão para tê-los, mas ela era inevitável, e seu corpo reagiu da forma costumeira. Sabe, no silêncio do seu isolamento, quando você remoía aquelas informações desagradáveis, esperando que ninguém notasse seu desolamento e preocupação, eu quis apenas que você se lembrasse de mim e soubesse que eu cuidaria. Eu estava cuidando, tudo que eu queria dizer é que não era preciso aquilo.

E quanto à resposta corporal ao seu estado de confusão mental, aquilo tudo eu senti com você. Ouvi o pulsar se intensificando, vi o sangue ir para a face, senti o calor aumentar. Não era preciso esconder! Todos tem estes momentos, é bela a posição de fragilidade, agrado-me dela. O desespero vem quando você pensa que terá que enfrentar tudo sozinho, por isso lembre-se que não somente irei, mas que já estou, ao seu lado.

13 comentários sobre “Companheiro

  1. Mt forte.

    Que isso, vc conseguiu expressar de forma genuína um sentimento que nos passa algumas vezes. Como é bom relembrar que Ele está ao nosso lado.
    Um dos seus melhores posts!

  2. Como é bom hoje saber que Ele tá do meu lado nessas situações. Mas mesmo assim, às vezes esqueço e preciso de alguém pra me lembrar. Pra isso servem os amigos. Quinta feira passei por uma situação de aperto, comecei a me desesperar, mas aí o Júnior tava comigo e me lembrou que Ele iria cuidar da gente. No final deu tudo certo, graças a Ele.
    Vidigal, mto bom mesmo o post.

  3. Sempre fico mt impressionada com a forma como nosso corpo responde as diversas situacoes q vivemos!!!
    Rosto corado?? …..isso e normal pra mim!!!!
    Mas fragilidade?? …..isso e dificil!!!

    Adorei Vidigas!!!

  4. Muito legal o post, Vidigal!!!

    “…não somente irei, mas já estou…”

    Por que nos esquecemos disso?

    Abração!

  5. Olá! Depois de muitos anos volto aqui! Li este texto em 2010 (depois cresci, me formei, casei, me tornei um monte de outra coisa desde então rs). Mas este texto NUNCA SAIU DE MIM! E hoje por alguns motivos, ele voltou a minha memória. E continua bastante vivo! Ainda bem que o encontrei novamente! Quis escrever isto aqui como um agradecimento e porque achei honeste devolver ao autor aquilo que, um dia, recebi.
    Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *