Como um aleijado

Há 2 anos atrás decidi que utilizaria o ‘about me’ do orkut para falar da minha fé e, assim, ampliar um pouquinho minhas fronteiras. Pretendo mudá-lo novamente (de lá para cá já foram 4 versões)  semana que vem e, assim, para não desperdiçar este pedaço da minha história, decidi postá-lo aqui.

OBS.: escrevi  essa versão há mais de um ano atrás, quando passava por tempos bem difíceis – tinha acabado de terminar o namoro e estava com minha vida bem desestruturada –   nos quais, apesar dos apesares, eu sentia muito o conforto de Deus.

Quem sou eu? (se vc já começou a ler, vá até o fim!!!)

Acho que, atualmente, diria que sou um aleijado.

A vida, em alguns momentos, parece ser tão difícil, o mundo tão cruel, que simplesmente me sinto um aleijado perante tudo isso. Incapacitado de fazer qualquer coisa, de promover qualquer mudança em mim e no que me rodeia.

O “destino” “prega-me peças” que simplesmente não dá para acreditar, me leva por caminhos cercados de espinhos que, em minha visão, não dão em lugar nenhum… Sou apenas um floco de neve em meio a uma avalanche – estou sendo levado: não sei para onde, não sei por que, sem controle nenhum da situação…

Acho que é natural perguntar: e esse Deus do qual tanto falam, aonde está? Por que tanto sofrimento, desilusão, desperança???

Essas perguntas são um tanto quanto complexas para serem respondidas apenas numa divagação como essa, mas há uma história que penso ser bastante útil nesse caso:

Um suposto Jesus, veio supostamente “andando sobre as águas”… Pedro, um “suposto amigo de Jesus” viu aquela situação e, estupefato, questionou Jesus se também poderia andar sobre as águas, como prova de que aquela situação era real, isto é, como prova de que Jesus era real.  E ele disse: Vem. E Pedro, descendo do barco, andou sobre as águas indo de encontro a Jesus. Mas, sentindo o vento forte, teve medo; e, começando a ir para o fundo, clamou, dizendo: “Senhor, salva-me!” E Jesus, sem hesitação, estendeu o braço para Pedro… (Mt14:22-33)

Bom, porque acho essa história útil (mesmo que você creia que ela seja inverídica):

Pedro, apesar de ter tido alguns segundos de certeza, de esperança, de prova que Jesus era real (para ele esse fato significava que Deus era real), em determinado momento de sua trajetória, se viu afundando em medos e tribulações que estavam acontecendo ao seu redor. Totalmente incapacitado, sem nenhum controle da situação. Por outro lado, Jesus sempre esteve no mesmo lugar, esperando calmamente pela chegada de Pedro ou algum pedido de socorro do mesmo.

Acho que essa história reflete e muito nossa atitude com Deus: nós perdemos o foco – passamos a olhar apenas para o vento forte – e assim acabamos não concentrando em nossos passos e não conseguindo ver Deus… e ainda o culpamos por estar longe… …enquanto o tempo todo Ele estava apenas aguardando um mero sinal nosso, tentando prover uma superfície sólida para nos equilibrarmos… … …

“Embora possa estar errado, creio piamente que Deus está no controle. Alguns chamam isso de muleta. Eu chamo de fé. Mas afinal, para o aleijado, uma muleta é melhor do que nenhuma” (Philip Yancey).

“E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus” Fl4:7

Eu vivo essas frases! Apesar de tudo, há esperança!

Qualquer coisa fale comigo, poderei me explicar melhor!

7 comentários sobre “Como um aleijado

  1. otimo ratinho… eu gosto muito dessa historia tb… ela tb me ajudou em momentos mtu dificeis, em uma fase q eu nao sentia mais a presença de Deus… durou meses… e tem uma parte dela q é mtu interessante, Jesus viu do monte onde ele estava orando, os discípulos na tempestade e depois de um bom tempo, “alta madrugada” Ele foi ajuda-los e ai rola tudo q vc contou… engraçado, os discipulos deviam estar pensando: “cade esse Jesus? sera q Ele nao ta vendo o q a gnt ta passando?”, no entanto quem nao conseguia enxerga Jesus era eles, Jesus via e orava e chegou na hora certa, q so Ele sabia qual seria… nessa fase q passei me perguntava o mesmo q os discipulos e me enchia de duvidas, mas Jesus tava presente… so q eu nao via… e mesmo durando mtu, tudo aquilo passou e Ele chegou na hora certa…
    adorei o post
    bju

  2. É amigo, semana do desabafo no Outras Fronteiras… aohaohaoiha
    Cara, como é difícil se lembrar dessas coisas tão simples (pra quem já tem algum tempo de vida cristã), quando se está afundando. Que bom ver o quanto vc está bem agora (comparando com o ano passado).
    Abraço.

  3. Mateus. Fico muito feliz quando leio esse seu texto! Evangelístico até falar chega…Não há quem não se sinta incomodado com essas afirmações. Deus tem muitas maravilhas pra gente e muitas pessoas desconhecem…É doido ver a sua disposição em servi-lo, participando de tudo isso. Sendo, enfim, instrumento dELe.
    Abração

  4. Rato!
    Quero muito escrever um post sobre essas coisas que vc colocou (e o farei em breve), compartilhar um pouco da minha vida. Mas é bom ver que (pelo menos é o que aparenta!) vc está bem melhor agora!!!
    Fica firme aí! Ah, e nem precisa falar que concordo com todo o conteúdo!
    bjos

  5. Esse texto é muito legal, já tinha lido ele um dia no seu orkut.
    Uma pergunta sobre a frase do final “Qualquer coisa fale comigo, poderei me explicar melhor”, alguém te procurou? fiquei me perguntando isso na primeira vez que eu li seu ‘quem sou eu’

  6. @amanda Sim, já me procuraram! 😀
    Na verdade, só uma pessoa me procurou.
    Mas já valeu a pena demais, pois conheci ele através desse simples texto e hoje posso afirmar, com toda segurança, que ele é um dos meu top5 amigos.

    @ana vo cobrar o post então! heheh

    @nanda valeu! e comenta mais ae pow!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *