Caminho sem volta

“These are commercial crusades, ‘cos all the oil men get paid (…)
From dirty bastards fillin’ pockets with the profits of greed”
“Essas são cruzadas  comerciais, só os petroleiros recebem (…)
Babacas enchendo os bolsos com os lucros da ganância”
 (Ian Brown – Illegal Attacks)

 

Guerra no Iraque
Guerra no Iraque

Woody Allen não faz meu estilo. Pra mim, as histórias dele consistem de personagens extremamente perturbados e ele busca perturbar o leitor/telespectador através de clichês pra tentar fazer com que eles se sintam também afetados. Artificial. Scoop, Vicky Cristina Barcelona, Sonho de Cassandra, Que loucura!. Eu dei várias chances ao Woody Allen,mas não consigo gostar do estilo dele. Acho que o problema é comigo! 😀 Continuo preferindo o Woody WoodPecker.

Guerra no Iraque
Guerra no Iraque

Mas uma frase de um personagem de “Sonho de Cassandra” me chamou a atenção: ao discutir sobre homicídio, um personagem diz ao outro que encarasse com naturalidade o fato de ele ter que matar alguém para salvar a pele de um ente querido. Se ele estivesse em alguma guerra, da mesma forma teria que matar alguém, não por um motivo nobre de defesa da pátria como os pobres soldados são levados a acreditar, mas sim  por motivos egoístas dos escalões superiores ou dos políticos, na maioria das vezes ganância, também para salvar o pescoço dos mesmos. Isso é a guerra, nada mais que isso. Pessoas desconhecidas com ódio mortal pelos soldados do outro lado sem nunca tê-los visto. Pessoas comuns odiando pessoas comuns. Ódio irracional, levado pela racionalidade econômica ou política dos poderosos.

Guerra do Iraque
Guerra do Iraque

Fiquei pensando, ao ver esse filme, no peso de um dos personagens ao matar alguém. Ele repetia: “Matar é um caminho sem volta”. Mas, se me perguntassem se eu já matei alguém, a resposta é sim. Quantas pessoas já matei na minha mente! O simples desejar mal, falar mal, desejar que estivessem mortas já é matar. O que vale é a intenção. O simples realizar na nossa mente já é um caminho sem volta. Já é estimular o mal em nós mesmos, dar corda aos piores sentimentos. Já é criar uma guerra dentro de nós, em prol dos nossos insaciáveis desejos egoístas. Escolher incentivá-los é um caminho sem volta. Até que escolhamos o contrário, diariamente.

E as suas escolhas, como têm sido?

ana.oliveira

Sobre ana.oliveira

Ana Luíza, 21, é filha única e já fez intercâmbio. Atualmente estuda Economia na UFMG e é bolsista da Associação Democracia Ativa (dispondo de muita fofoca política pra contar ;]). Adora ler, viajar e aprender línguas. Participa de Alvo da Mocidade desde 2001, estando atualmente na Comunidade. É cristã e simpatiza com o marxismo.

3 comentários sobre “Caminho sem volta

  1. É Vruvuzão, posso dizer com certeza que sempre matos pessoas… all the time… é uma luta diária mesmo.
    Muito boa a parte do Woody Allen, mas acho que não tenho opinião formada sobre ele ainda. bjs

  2. eu sempre quero matar uns meninos bagunceiros que pegam o mesmo onibus que eu… o proprio Jesus fala sobre isso neh. qdo a gente intenta, mesmo que não passe da mente, pronto. Está aí o que Ele chama pecado. valeu ana

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *