As Batalhas de Josué – Ai 2, a Vingança!

Olá nobre leitor!

Na semana passada vimos como o pecado de Acã e a soberba de Israel prejudicaram e trouxeram a primeira derrota para o povo de Deus. Agora falaremos da segunda parte desta batalha!

Depois de identificarem e punirem com a morte o homem que desobedeceu a ordem de Deus, uma mensagem chega a Israel:

” Então disse o SENHOR a Josué: Não temas, e não te espantes; toma contigo toda a gente de guerra, e levanta-te, sobe a Ai; olha que te tenho dado na tua mão o rei de Ai e o seu povo, e a sua cidade, e a sua terra.”  Josué 8:1

Josué, grande líder militar , se aproveitou da derrota para bolar um novo plano. Levaria milhares de soldados até os portões de Ai, simulando uma nova invasão. No meio da batralha, fugiria com seus homens como se a derrota fosse iminente. O objetivo era fazer o exercito de Ai perseguir os israelitas até fora da cidade, da mesma maneira como aconteceu da primeira vez.  Só que desta vez, um grupo menor ficaria escondido, e assim que o exercito saísse de Ai, eles tomariam a cidade desprotegida. Os números falam de 30 mil homens no exercito principal e 5 mil escondidos para a emboscada.

Josué liderou pessoalmente o exercito principal, e fizeram exatamente como o planejado. O Rei de Ai, ao ver Israel em campo aberto fugindo para o deserto, ordenou a perseguição. Por falta de prudência ou por subestimar Israel, nenhum só soldado fico em Ai. Todos saíram em perseguição. Foi fácil para os os 5 mil da emboscada entrarem na cidade e atearem fogo em tudo.

Ao ver que seu plano funcionou, Josué deu meia volta para combater seu inimigo. Pela retaguarda, os 5 mil que atearam fogo na cidade também vieram para o combate. O exercito de Ai foi cercado pelo dois lado, não tendo para onde recuar ou fugir. Foram massacrados.

 Esta mesma estratégia de atacar um exercito por dois lados foi utilizada na derradeira batalha de Alexandre o Grande contra o persa Dario III,  na famosa batalha de Gaugamela, onde cerca de 45 mil homens macedônios derrotaram  cerca de 250 mil persas. A estratégia é famosa em meios militares e foi amplamente utilizada nas primeiras e segunda guerras.  Josué é, sem dúvidas, o maior líder militar da historia do povo hebreu.

Desta vez, Deus permitiu que despojos fossem tomados. É dificílimo entender  plenamente os desígnios de Deus. Em uma batalha, Deus proibiu a coleta de despojos. Na próxima, ele permite.

O que podemos aprender com a vitória de Josué?

1 – Confie em Deus. Ele pode te negar alguma coisa agora para depois permitir que você tenha o que lhe foi negado, e muito mais.  Quando ele lhe disser para não tocar em algo, não toque, mesmo que você queira muito. Aguarde, e no momento certo, o que é seu virá para você, com a bênção de Deus.

2- Seja um líder de campo. Se quer ser visto como líder, se quer que pessoas te sigam, e se quer vitórias, esteja na frente de batalha. Não adianta incentivar alguém a fazer alguma coisa que você mesmo não faria. Josué liderou pessoalmente o exercito principal. Vá para o campo!

3-  Aprenda com seus erros. Seja inteligente, tenha senso crítico e transforme seu ponto fraco em ponto forte. Reflita sobre suas estratégias, repense seu comportamento, e mude aquilo que lhe trás derrota. Ai achava que Israel era covarde, e que estava novamente fugindo.  A covardia de outrora se transformou em coragem vindoura. A vitória veio da transformação.

Não sei vocês, mas eu sou fã de Josué. Vamos continuar com ele!

Um abraço!

2 comentários sobre “As Batalhas de Josué – Ai 2, a Vingança!

  1. Muito bom, Neruda! As conclusões no fim dos posts têm feito tudo ser muito prático…

    E o Josué é mesmo digno de admiração!

    Valeu!!!

  2. Valeu Edu! Gostou muito do Josué. Andei analisando suas táticas de guerra e comparando-as com Alexandre o Grande, Napoleão, Dario da Persa, Nabucodonosor e outros grande conquistadores. E quer saber? Ele não deixa nada a desejar. Quando Deus reclama pra sí o título de Senhor dos Exércitos, além de classes celestiais, ele tb manda muito bem em ordens humanas! Deus é fera demais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *