Todos os posts de Bernardo

O mau está vencendo?

Eles não param de matar. Todos os dias vítimas estampam manchetes dos jornais. Não aguentamos mais.

Vítimas da ambição, do egoísmo, da vaidade, do ciúme, da competitividade excessiva, do poder, da corrupção, dos desejos mais obscuros, dos diversos vícios e comportamentos perturbadores.

Nossa sociedade sofre, pessoas sofrem…estamos doentes!

Ouço todos os dias uma sirene, ou melhor, várias. Elas não dormem, não descansam. Ambulâncias ou viaturas policiais passam correndo por nós a todo instante.

Uma sociedade frenética, ansiosa e deprimida. Possuídos pelo medo andamos de um lado para o outro, sem saber pra onde ir.

Simplesmente andamos, sempre com pressa. E paradoxalmente paralisamos. Nunca andamos tão rápido e tão paralisados, anestesiados. Não raciocinamos mais. Quando foi que nos tornamos tão insensíveis? Só enxergamos nosso próprio umbigo. Salve se quem puder é a #dicadomomento. Pena que ninguém se salva né!

Mas nada disso importa. Antes, postemos no insta. Sensualizamos e ostentamos nas redes sociais. Na legenda um versículo bíblico ou qualquer chavão ridículo.

Eles não param de matar, é verdade. E nós também não, só que em doses homeopáticas. A cada mentira, a cada clique indevido, a cada fotinha “transbordando” felicidade e plenitude.

Estamos patéticos.

E Ele, que tanto combatia a hipocrisia.

“Enquanto não experimentarmos a terrível consciência de quanto estamos longe de cumprir os padrões do Criador e quanto estamos necessitados de transformação, jamais poderemos experimentar o conforto da fé.” C. S. Lewis

“Pai, perdoa a nossa imperfeição e as nossas fraquezas. Sou incompleto, transformai nos em povo do Senhor.”

Cooperador de Cristo.

VIDA DE PASSARINHO

“Uma vida sem exame não vale a pena ser vivida.” Sócrates

Num vilarejo nordestino, uma conversa despretensiosa com um humilde jangadeiro. Ali na sua jangada ele me ensina muito, com sua vida, com suas palavras que tocam meu coração.

Talvez não saiba, mas ele me fala sobre o amor de Deus:

“- Aqui é bom demais de viver. Temos tudo aqui, só preguiçoso passa fome. Temos o mar, o rio e o mangue. É só ir lá buscar comida. ”

Lembrei me das palavras do Senhor e das Suas promessas. De como Ele é bondoso e despeja beleza nas flores, de como alimenta os pássaros, e de como sustenta nossas vidas. Por amor, por graça, por misericórdia.

Na vida, vivemos dias que jamais pensamos em viver.

Na vida, deixamos de viver dias que sempre desejamos viver.

Às vezes, minha memória revive dias que parecem pesadelos. Mas foram dias vividos, banhados em lágrimas. Dias de muita dor e tristeza.

Às vezes me pego pensando em como seria viver diferente. Mais desapegado, menos competitivo. Viver com menos para de fato viver mais.

Quantos passos mais teremos que dar?

Quantos passos achamos que daremos?

Quantos passos de fato daremos?

A vida é recheada de surpresas. O roteiro imperfeito nos permite escolhas, mas também nos leva ao acaso.

Será mesmo que colhemos tudo que plantamos?

E será que só colhemos o que plantamos?

Se Deus derrama sobre mim Sua misericórdia, pela sua graça, e conduz esse exímio e redundante pecador ao seu Reino eterno, certamente colherei aquilo que não plantei, pois não seria merecedor desta Ceia.

Tenho pensado na vida. Na vida que vivi, na vida que estou cansado de viver, e na vida que desejo viver.

Para onde iriei meu Senhor? E o que farei?

Um amigo me disse que 2 passarinhos descansavam numa árvore e observavam a confusão dos homens.

“- Meu amigo, por que esse povo tanto corre e briga?

– Porque eles não tem o nosso Deus.”  

Cooperador de Cristo

Guarda Volume

“Ora, sabemos que o temos conhecido por isto: se guardamos os seus mandamentos” 1 Jo (2:3)

Estou cansado. Estou indignado. Estou com medo.

O mundo parece estar de pernas para o ar. As pessoas estão tirando a própria vida.

Sou do tempo em que era praticamente proibido falar sobre suicídio, mas parece que, diante de números assustadores, é urgente falar sobre isso.

Os números?

No Brasil são 30 por dia. No mundo são 800 mil por ano. De acordo com a OMS é a segunda causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos. Mas no Brasil, proporcionalmente são os idosos que mais cometem suicídio.

Assustador né!?

A minha pergunta é: Por que? E o que temos feito?

Aquilo que entregamos aos outros todos os dias é o que temos guardado dentro de nós. E parece que não é Deus. Definitivamente não é amor. Transbordamos competitividade, exibimos falsidade em redes sociais, corremos desesperadamente para ter mais. Mais dinheiro, mais viagem, mais prazer, mais curtidas….

Enquanto isso muitos estão abandonados, invisíveis.

E o amor vai esfriando. E estamos como que cauterizados, ou anestesiados.

Parece que os jovens estão se sentido só. Incapazes diante de tantas exigências para o sucesso. Parece que não estão aguentando. Os jovens, os adultos, os idosos….todos nós estamos “arriando”.

Com nossos corações meritocratas deixamos para trás a graça, a misericórdia e o amor.

Estou farto. Estou farto de ser um guarda volume. Precisamos guardar os mandamentos do Senhor e permanecer no seu amor. Precisamos estar juntos, testemunhando sua graça.

É urgente. Por favor, tirem as vendas dos olhos. Temos no peito um coração e não um aplicativo (pelo menos por enquanto). Sejamos povo do Senhor, testemunhas de Cristo, doadores de vidas.

Um abraço pra você.

SOMENTE FOLHAS

Estava empolgado e fez uma bela tatuagem. Estampava agora uma cruz em seu corpo. No carro, colou um adesivo, uma declaração de amor. Aos domingos, estava presente na igreja. Curtia o ritual, elevava suas mãos e sempre contribuía  com ofertas.

Todos o reconheciam e diziam estar ali um bom homem de Deus.

Mas havia um tempo, nada recente, que não se sentava diante do Senhor.

Há algum bom tempo não orava com seu coração aberto.

Alegava que não tinha mais tempo, então não mais jejuava, não mais meditava e sua bíblia estava coberta por poeira.

A tatuagem agora era somente um enfeite, e o adesivo do carro era contrariado por suas atitudes impulsivas e egoístas.

Entregue ao ritmo do mundo, voltara aos velhos hábitos, daquele homem que um dia ele mesmo chamou de velho.

Havia tempo, que era como uma bela figueira, repleta de folhas, mas sem fruto algum que saciasse a fome de outrem.

Cooperador de Cristo.

“…teve fome. E, vendo de longe uma figueira com folhas, foi ver se nela, porventura, acharia alguma coisa. Aproximando se dela, nada achou, senão folhas…” (Mc 11:12-13)

 

Páscoa com propósito

Após mais de 400 anos de escravidão no Egito, os israelitas bateram em retirada rumo à terra prometida. Moisés liderava o povo e o “Senhor ia adiante deles, durante o dia, numa coluna de nuvem, para os guiar pelo caminho; durante a noite, numa coluna de fogo, para os alumiar, a fim de que caminhassem de dia e de noite.”Ex (13:21)

O fato interessante é que a viagem aparentemente deveria ser curta, porém durou 40 anos. Isso tudo por diversos motivos, mas quero falar sobre a escolha da rota.
“…Deus não os levou pelo caminho da terra dos filisteus , posto que mais perto, pois disse: Para que, porventura, o povo não se arrependa, vendo a guerra e torne ao Egito. Porém Deus fez o povo rodear pelo caminho do deserto perto do mar Vermelho.”Ex (13:17-18)
Deus não permitiu que fossem pelo caminho mais curto. Vendo todo o resto da história, fico pensando nos motivos de Deus, no propósito para aquele povo, para a humanidade, no propósito de Deus para a minha vida.
Talvez o caminho mais curto os levassem à morte e a não conclusão daquele projeto. Talvez perdessem a coragem ao ver coisas que não estavam preparados para ver.
Talvez durante o caminho mais curto o povo não seria provado o suficiente como no deserto. Quando digo provado, não estou dizendo que Deus estava de sacanagem…não creio num Deus que fica brincando, testando se somos “bons o suficiente”. Primeiro porque Ele sabe exatamente quem somos e sabe que não somos “bons o suficiente”. Tanto que veio nos resgatar…eis aí nossa Páscoa!
Mas somos testados, na minha opinião, para que possamos conhecer mais. Mais sobre nós, mais sobre Deus. Deus já sabe nossa história.
Talvez ainda não tenhamos colocado Deus como nosso guia, Nuvem que orienta, Luz que ilumina. O Espírito Santo está em nós, ou deseja estar. Precisamos permitir que Ele nos guie. Precisamos caminhar sob sua orientação.
Talvez seja necessário passar pelo deserto e viver experiências profundas, aprendendo a se relacionar com Deus e com as pessoas. Aprender que as dificuldades existirão sempre, mas que Deus sempre supre o necessário.
O mais legal é que esse caminho mais longo os levou para um encontro com Deus no Monte Sinai. Talvez você esteja atravessando um deserto e não compreenda o motivo. Você possa estar se perguntando por que tem demorado tanto? E talvez a resposta seja : porque você ainda tem um encontro com Deus.
Eu desejo que todos nós possamos compreender a Páscoa e a esperança da Ressurreição. Que a partir desse entendimento possamos ser gratos e buscar viver uma nova vida. A cada nova manhã, uma nova ressurreição e uma nova vida. Obrigado Senhor Jesus, por tanto amor e por pagar o preço do resgate da vida.
Feliz Páscoa.
Cooperador de Cristo.

2017

Para muitos, um ano que deve ser esquecido. Outros, porém, celebraram esse ano tão controverso.

Eu, o que posso dizer desse ano?

2017, seu danado…você será inesquecível. Chamar-te-ei professor. Daqueles implicantes, chatos, mas que nos ensinam como poucos.

Deixo por aqui muito suor, cabelos e lágrimas. Contudo, dancei na tempestade, sorri ao lado das minhas meninas. Claudinha, a guerreira de sempre, companheira de duras e deliciosas jornadas. Duda, um tiquinho de gente que nem sabe o que aconteceu…ela só queria brincar…e como brincamos!!! Que bom….tivemos tempo minha pequena.

O meu Deus me observava, e constantemente revelava-Se lembrando que tudo ficará bem e que o que realmente importa não é o que podemos tocar, ou guardar num cofre. Aprendi mais sobre o amor de Deus sendo pai.

Amor incondicional….mesmo quando seu filho escolhe não ir para seus braços, você ainda o ama do mesmo jeito, e deseja simplesmente que absolutamente nada de mal aconteça. Pai, perdoa-me por muitas vezes buscar outros caminhos. Por não desejar seus conselhos e desprezar sua vontade. Perdoa me porque não fui um bom filho.

As dificuldades nos acompanharam conta a conta. Meus pensamentos mudavam de acordo com o vento. Me decepcionei com muitas pessoas, entretanto encontrei apoio em outras tantas. Certamente decepcionei outras também….mas a vida é assim. Uma grande escola, onde o perdão é essencial e a humildade é o combustível para aprender a cada dia.

Saio fortalecido, mais maduro, mais humilde. Saio com a certeza de que aprendi muito…e que muito precisa ser restaurado.

É hora de fazer o balanço…refletir sobre nossas atitudes, sobre nossos objetivos, sobre nossos relacionamentos. É hora de colocar as cartas na mesa com sinceridade.

Desejo a todos um 2018 com menos promessas e mais metas realistas, com menos mimimi e mais planejamento e disposição.

Desejo a todos menos mandinga de ano novo e sim fé, coragem e força para realizar a mudança necessária.

Não existe ano novo, o que existe é vida nova, com Cristo e com novas atitudes.

Bem vindo 2018.

Ao Redor

Existem dias difíceis. Num determinado período parece que uma nuvem carregada acompanha nossos passos e traz tempestade sob nossas cabeças.

Geralmente, nesses períodos, somos encurralados.

Parece que, a qualquer momento, tomaremos um xeque mate. Ficamos amedrontados, receosos em dar o próximo passo.

Ocorre que, ficar parado resolve nada. O medo nos paralisa, fragiliza nossa fé. Ficar chorando não te livra da tempestade, e amaldiçoar Deus só vai te trazer prejuízo. Deus continuará sendo Deus, e você, provavelmente se alimentará de rancor, egoísmos e auto piedade.

Na tempestade, escolha bem onde fixar seu olhar. Olhe para Cristo e não para o vento forte e agito das águas. Alimente seu coração com as coisas do Senhor. Isso lhe trará paz e serenidade para dar os passos corretos. Por fim, lute. Dê passos confiantes, na certeza de que o Senhor é o seu pastor e nada te faltará.

O dia ontem estava maravilhoso. Alguém reparou?

A árvore na janela do meu trabalho perdeu suas folhas. Ficou peladinha e fez uma sujeira danada…mas agora suas folhas estão verdinhas e lindas. Eu nem tinha reparado.

Cooperador de Cristo

A troca

“Tinha Jacó feito um cozinhado, quando esmorecido, veio do campo Esaú e lhe disse: Peço te que me deixes comer um pouco desse cozinhado vermelho, pois estou esmorecido. Daí, chamar-se Edom.

Disse Jacó: Vende-me primeiro o teu direito de primogenitura.

Ele respondeu: Estou a ponto de morrer; de que me aproveitará o direito de primogenitura?

Então, disse Jacó: Jura-me primeiro. Ele jurou e vendeu o seu direito de primogenitura a Jacó.

Deu, pois, Jacó a Esaú pão e cozinhado de lentilhas; ele comeu e bebeu, levantou-se e saiu.

Assim, desprezou Esaú o seu direito de primogenitura.” Gn (25:29-34)

Esaú e Jacó eram gêmeos. Esaú nasceu primeiro e saiu da barriga da mãe com seu irmão Jacó segurando-lhe o calcanhar. Parece que Jacó lutou pelo posto de primogênito desde o ventre e aproveitou a fraqueza do irmão para conseguir o que queria.

O primogênito tinha direitos e deveres especiais. Era o responsável pela casa na ausência do pai, geralmente recebia uma benção especial, além de ter direito à herança dobrada.

Era algo importante para aquele povo.

Esse trecho revela a picaretagem de Jacó, mas gostaria de focar em Esaú, na verdade, no exemplo de Esaú.

Esaú abriu mão de todos esses deveres e direitos para saciar sua fome.

Como filho de Deus, herdeiro do Reino, tenho vários direitos e deveres. Pensei em quantas vezes tenho aberto mão disso tudo para saciar minha fome.

Fome de dinheiro, fome de sexo, fome de sucesso, fome de vaidade…

Matar a fome com a única coisa capaz de matar minha alma; abrindo mão do direito de ser filho de Deus.

Minha oração hoje é para que sejamos firmes. Que possamos negar todas as tentações que o mundo nos oferece a fim de destruir nossa relação com Deus, com nossos cônjuges e com nossos filhos.

Cooperador de Cristo.

Aprendendo com os pequeninos

Sábado foi um dia estranho.

Passei rapidamente por um velório. Fui abraçar uma família querida que perdia a matriarca de 92 anos.

Lá, inevitavelmente refletimos sobre a morte. Uma vida chega ao fim. Sem planos, sem sonhos. Tudo o que resta agora é saudade e a esperança de um reencontro.

De lá fui para um batizado. Celebração da vida. Muitas expectativas e sonhos são lançados ali, principalmente quando pais cristãos batizam seus filhos.

O batismo é mais que uma ordenança, muito mais que uma tradição. É um ato de amor, pois entregamos nossos filhos a Deus e oramos para que escolham andar por esse caminho.

Nesse mix de emoções, um versículo toma conta dos meus pensamentos:

“Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus.” Mt (18:3)

Penso na minha pequenina. Como tenho aprendido com você, meu amor! Nesse último ano tenho aprendido a exercer minha mais nobre função; pai de família.

A confiança dela em nós me ensina a confiar no Pai. A dependência dela me leva a refletir sobre minha postura autossuficiente. O amor e o cuidado que temos por ela me faz recordar o imenso amor que Deus tem por nós.

Obrigado filha, por me ensinar tanta coisa. Eu, que sempre sonhei em te ensinar sobre as coisas do Senhor, tenho aprendido com você, sua pequenina.

Eu desejo ardentemente que, no fim das nossas vidas tenhamos a certeza que vivemos os sonhos que Deus preparou para nós, desde o início.

Que Deus dê sabedoria ao pais, proteção aos filhos, misericórdia para os que se vão e conforto para os que ficam.

Cooperador de Cristo.

Entre espinhos

Tenho o privilégio de me reunir com alguns amigos toda segunda feira para estudar a bíblia. São homens bons, que lutam para viver a fé cristã e que me ajudam muito nas minhas batalhas.

Semana passada estudamos a famosa parábola do semeador;

“E outra vez começou a ensinar junto do mar, e ajuntou-se a ele grande multidão, de sorte que ele entrou e assentou-se num barco, sobre o mar; e toda a multidão estava em terra junto do mar.
E ensinava-lhes muitas coisas por parábolas, e lhes dizia na sua doutrina:
Ouvi: Eis que saiu o semeador a semear.
E aconteceu que semeando ele, uma parte da semente caiu junto do caminho, e vieram as aves do céu, e a comeram;
E outra caiu sobre pedregais, onde não havia muita terra, e nasceu logo, porque não tinha terra profunda;
Mas, saindo o sol, queimou-se; e, porque não tinha raiz, secou-se.
E outra caiu entre espinhos e, crescendo os espinhos, a sufocaram e não deu fruto.
E outra caiu em boa terra e deu fruto, que vingou e cresceu; e um produziu trinta, outro sessenta, e outro cem.
E disse-lhes: Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.
E, quando se achou só, osque estavam junto dele com os doze interrogaram-no acerca da parábola.
E ele disse-lhes: A vós vos é dado saber os mistérios do reino de Deus, mas aos que estão de fora todas estas coisas se dizem por parábolas,
Para que, vendo, vejam, e não percebam; e, ouvindo, ouçam, e não entendam; para que não se convertam, e lhes sejam perdoados os pecados.
E disse-lhes: Não percebeis esta parábola? Como, pois, entendereis todas as parábolas?
O que semeia, semeia a palavra;
E, os que estão junto do caminho são aqueles em quem a palavra é semeada; mas, tendo-a eles ouvido, vem logo Satanás e tira a palavra que foi semeada nos seus corações.
E da mesma forma os que recebem a semente sobre pedregais; os quais, ouvindo a palavra, logo com prazer a recebem;
Mas não têm raiz em si mesmos, antes são temporãos; depois, sobrevindo tribulação ou perseguição, por causa da palavra, logo se escandalizam.
E outros são os que recebem a semente entre espinhos, os quais ouvem a palavra;
Mas os cuidados deste mundo, e os enganos das riquezas e as ambições de outras coisas, entrando, sufocam a palavra, e fica infrutífera.
E estes são os que foram semeados em boa terra, os que ouvem a palavra e a recebem, e dão fruto, um trinta, e outro sessenta, e outro cem.”
Mc (4:1-20)

Conversamos sobre os tipos de solo e concluímos que em nossas vidas, passamos por diversas fases, podendo nosso coração, ou nosso solo, se encontrar de diferentes maneiras.

Confessei que meu solo se encontra repleto de espinhos, que sufocam as coisas de Deus. O cuidado com as coisas do mundo, especificamente o trabalho e as adaptações que a chegada da Duda exigem, estavam deixando tudo muito bagunçado.

O resultado dessa inversão de prioridades é uma vida desregrada, indisciplina com as leituras e com os momentos de comunhão, orações superficiais e egoístas, além de uns quilinhos a mais e uma latinha envelhecida.

Graças te dou, Senhor, porque tu és o Deus da misericórdia. O Deus que usa qualquer situação para reorganizar as prioridades.

Segunda feira é o dia internacional da dieta, e nesta segunda, iniciei a minha com um excelente acompanhamento nutricional.

Essa nova rotina exige disciplina e esforço, e isso será usado por Deus para tirar espinhos, fazendo do meu coração solo fértil. A motivação maior sempre será servir ao Senhor.

Bom levar tudo para Aquele que nos alivia. Bom saber, que mesmo entre espinhos podemos ver luz e ter irmãos que são como jardineiros, realizando a boa obra do Senhor.

Como anda seu coração?

Cooperador de Cristo.