Do absurdo à obediência – #5 solitude

Hoje abro espaço para um grande amigo e companheiro de Outras Fronteiras, Rafael Freitas. Ele me acompanha desde os primeiros passos na vida com Deus, em 2002.  Desde então tem me ensinado com suas palavras e sua vida o que é ser seguidor de Jesus. Pedi a ele que escrevesse para a série de posts sobre disciplinas espirituais, sobre solitude, e ele nos brinda com este texto simples e profundo que segue abaixo. Boa leitura!

Um homem cansado, exausto e perseguido.  Assim estava Elias, após vencer uma grande guerra contra os profetas de Baal. Não conseguia ter sossego, pois seus inimigos (Acabe e jezabel) eram implacáveis perseguidores do Profeta de Deus.

É neste contexto que Deus pede que Elias se retire para o monte Horebe, onde teriam um encontro de amigos. E a bíblia narra o momento em que Elias percebe que Deus havia falado.

1 Rs 19.9-13

Então veio um vento fortíssimo que separou os montes e esmigalhou as rochas diante do Senhor, mas o Senhor não estava no vento. Depois do vento houve um terremoto, mas o Senhor não estava no terremoto.Depois do terremoto houve um fogo, mas o Senhor não estava nele. E depois do fogo houve o murmúrio de uma brisa suave…E uma voz lhe perguntou: “O que você está fazendo aqui, Elias? 

Não no vento.

Não no terremoto.

Não no fogo.

A voz do Senhor numa brisa suave, que alguns acreditam ser o próprio silêncio. Este mesmo, que temos tanta dificuldade em experimentar. Estamos cansados, exaustos, pressionados. E esperamos a manifestação de Deus em meio a tanto barulho.

Um absurdo! Vidas absurdamente barulhentas!

Na palavra absurdo, encontramos a palavra latina “surdus” que quer dizer “surdo”. Quando porém experimentamos a brisa suave, nos retiramos para o silêncio, aprendemos a obedecer a Deus. Sabe porque? Porque a palavra “obediencia” vem da palavra latina “audire”, que quer dizer “ouvir”.

Sabe o que Deus tentou fazer com Elias?

Tentou fazê-lo mudar de um momento de sobrecarga, preocupações e ocupações barulhentas, para um momento de espaço interior disponível para ouvir a Deus e seguir suas orientações. Do absurdo à obediência, da surdez aos ouvidos atentos à brisa suave.

Que seus ouvidos o conduzam à obediência! E que você fique surdo apenas para o absurdo.

Abraços

Os demais textos da série podem ser lidos aqui: leituraoraçãomeditação e memorização.

Rafael Santtos

Sobre Rafael Santtos

Rafael Santos, Belo Horizonte, 18 de abril de 1984, cristão desde 2012, sonhador, aventureiro, sanguíneo, exortador. E deseja dividir um pouco do que pensa através do Outras Fronteiras.

Um comentário sobre “Do absurdo à obediência – #5 solitude

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *