à la Twitter

Ouvi umas idéias esse fim de semana aqui que gostaria de partilhar com vocês.

Hoje parece que tudo sabota o desejo de termos relacionamentos duradouros. O que mais se vê são relacionamentos “chiclete”: acaba o doce, joga-se fora. As pessoas pulam de relação em relação quando começa a ficar difícil, quando começam a perceber os defeitos umas das outras, quando começam a ser questionadas. E não me refiro somente a relacionamentos “amorosos”, mas também a amizades e à família. As pessoas parecem ter perdido o interesse de se abrir, de conhecer o outro na profundidade, já que “tudo que importa pode ser dito em menos de 140 caracteres”. Superficial, banal, rasteiro.

No relacionamento com o outro crescemos e aprendemos não só sobre os monstros e fantasmas do outro, mas também sobre os próprios monstros e fantasmas. Se não desenvolvermos relacionamentos profundos, perderemos a chance de amadurecer/mudar/quebrar-se através da convivência.

Deus usa os relacionamentos para que nosso caráter seja mais parecido com o de Cristo. O relacionamento nos tira do nosso egocentrismo e – paradoxalmente – ao mesmo tempo em que nos ajuda a nos conhecer melhor. Cuidar de um parente doente, de um amigo em depressão ou de uma pessoa dependente são oportunidades de crescer. E não só nesses casos “extremos” Deus quer agir, mas também no seu dia-a-dia.

Conviver com os outros é dífícil, não nego. Podemos escolher viver a vida superficialmente e desistir com os problemas. Ou podemos insistir um pouco mais e, mesmo que a vontade seja de desistir, optar pela resolução dos conflitos, pelo serviço e pela maturidade. Jesus, nosso maior exemplo, não só não desistiu dos discípulos (e de nós), quanto realizou o maior ato de amor, serviço e quebrantamento (expressados na cruz).

Sua vida será à la twitter ou você quer ter relacionamentos mais profundos?

ana.oliveira

Sobre ana.oliveira

Ana Luíza, 21, é filha única e já fez intercâmbio. Atualmente estuda Economia na UFMG e é bolsista da Associação Democracia Ativa (dispondo de muita fofoca política pra contar ;]). Adora ler, viajar e aprender línguas. Participa de Alvo da Mocidade desde 2001, estando atualmente na Comunidade. É cristã e simpatiza com o marxismo.

3 comentários sobre “à la Twitter

  1. Adorei Ana , as pessoas nao estao dando valor aos relacionamentos , existe um troca de interesses entre ambos , como cristãos nos devemos ser diferentes e optar por termos relacionamentos profundos , assim crescemos , aprendemos e desenvolvemos o reino de Deus na terra ! Otimo !

  2. Há alguns dias ouvi do companheiro de blog Edu que todo relaciomento chega a uma fase de perdão. Se não perdoamos ou somos perdoados ele simplesmente acaba. Todo relacionamento profundo, na minha singela opinião, envolve comunicação e perdão, o que não pode ser feito em 140 caracteres.

    bjo, vru.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *